PUBLICIDADE

‘Sexo vende-se mais facilmente que poesia’, argumentou o ator de ‘A Grande Família’

PUBLICIDADE
Reprodução/Instagram/pedrocardosoeumesmoPedro Cardoso
Pedro Cardoso falou o que pensa sobre Beyoncé

O ator Pedro Cardoso revoltou fãs da cantora Beyoncé ao publicar um texto crítico sobre artistas que expõem a vida. pessoal em suas obras. Nas redes sociais, ele fez um desabafo sobre a qualidade da arte e o número de vendas de “biografias espetacularizadas”. “A mim, mais me toca a arte de Tracy Chapman do que a de Beyoncé. Seria gosto… Mas a minha questão aqui é a razão de a Beyoncé ser mais consumida do que Tracy. A mesma pergunta eu posso fazer para outros pares de artistas cujas as artes eu admiro mais do que a de outros, igualmente bons artistas, e mais consumidos do que os que prefiro. E desconfio que o maior sucesso comercial das “Beyoncés ‘frente’ as “Chapman” se deve aquelas venderem, além de sua arte, também a sua vida pessoal”, comparou. “Os jornais noticiam como fatos da cultura os namoros, os negócios, os treinos, os crimes etc e, principalmente, a vida sexual dos ditos ‘famosos’, quase nada dizem sobre a arte deles. Pouca arte é produzida pelos artistas inventados pela indústria de biografias espetaculares; o que produzem é mesmo mais os escândalos de suas intimidades inventadas. Não gosto nem desgosto especialmente de Beyoncé, mas da vida pessoal de Tracy eu nada sei; da de Beyonce, sem que eu procure, chegam-me mil fofocas”, argumentou.

Os fãs da cantora que esteve no país em dezembro discordaram das pontuações de “Agostinho Carrara”, que ainda assim manteve sua fala. “A arte não se presta ao comércio tanto quanto bem mais se presta a vida sexual dos artistas. Sexo vende-se mais facilmente que poesia. Quem muito vive a vida dos outros, busca distrair-se da sua, eu acho. A arte se torna um adorno secundário da vida pessoal dos artistas”, opinou o artista. “A indústria que vende biografias íntimas de artistas é tão rica hoje que ela mesma produz os artistas sem arte que explora. E os artistas autênticos, e suas artes, circulam menos pelo planeta. Sem vender a vida, “Beyoncés” não venderiam tanto”, concluiu. Diversos seguidores rebateram o comentário de Cardoso, se baseando na cor de sua pele.  “Pedro fazendo like em cima de duas mulheres negras talentosas, cada uma em seu nicho. Mais um ano se passou e o HB [homem branco] segue o mesmo”, disse uma usuária do Instagram.

Share.